Nunca está bom

Às vezes quero escrever algo foda, mas nem sempre tenho algo foda pra escrever. Às vezes quero falar algo foda, mas as palavras me faltam. De vez em quando quero ter uma atitude fodaça, mas paraliso.  Queria pular mais alto, correr mais rápido, mergulhar mais fundo. Queria ser mais do que já sou. Mas o que eu sou? Queria eu saber…

Nunca está bom. Por mais que me esforce, aperfeiçoe, e me empenhe, nunca vou chegar onde gostaria de estar. Porque eu quero estar sempre à frente. Sempre. Sempre. Sempre. Se há uma linha de chegada, eu nunca a consigo alcançar. E não adianta acelerar o passo. O fim se move para além dele. Mais que minhas pernas podem alcançar. Mais que meus braços podem pegar.

Poço sem fundo. Infinito de objetivos. Eternidade de metas. Como um cão correndo atrás do próprio rabo.  Na insatisfação de nunca ser, a trasmutação. Há transmutação.

De palpável, só sei que nunca serei.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em cara estranho

Uma resposta para “Nunca está bom

  1. Esquisita

    Sempre tentei expressar meu conflito existencial, hoje eu li, tudo que eu sinto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s