Vapor

Não, não quero me matar. Tduo que eu quero é deixar de existir. Não quero lágrimas alheias. Não quero sofrimento dos transeuntes. Quero desaparecer. Sem deixar pistas. Sem passagem. Sem história. Sem verbete. Não quero meu nome lembrado. Não quero inscrições em lápides. Quero evaporar. Quero a certeza de nunca ter vivido. Pois até hoje eu nunca tive vida.

Não quero lembranças. Fotografias. Memória. Quero o banimento. A ilusão. Quero ser a sensação de um porre de vinho barato. Amnésia. Sou o antes do parágrafo.

E-mail não enviado. Cartas no sotão. Não sou só, pois não sou nada. Nunca fui. Nem uma nesga de pensamento. Fui o ponto final, antes mesmo de começar a frase.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em cara estranho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s